Cibercultura ou Cultura Telemática

19/01/2015 02:53

Para falarmos da cultura do ciberespaço, precisamos primeiro definir duas coisas: ciberespaço e cultura. Conhecendo um pouco a abrangência de tais conceitos é que poderemos fazer algumas considerações a respeito da existência ou não de uma cultura exclusiva do ciberespaço telemático.

 

O que é cultura?

O termo cultura pode ser descrito de várias formas. Mas, no fundo, todas elas dizem respeito às produções e relações realizadas pelo homem em sociedade, sejam elas produções materiais (arquitetura, gastronomia, moda e tudo o mais que seja tangível) ou imateriais (artes, mitos, religião, filosofia e as demais produções de caráter simbólico ou abstrato).

Partindo-se do princípio de que tudo o que o homem cria em sociedade é cultura, faz sentido pensarmos em uma cultura do ciberespaço.

Empregamos o termo ciberespaço, aqui, como sendo o meio ambiente gerado a partir do desenvolvimento das redes  telemáticas, incluindo as redes predecessoras da internet, como o videotexto francês ou Minitel. Ou seja, o espaço de dados cibernético constituído pelas relações de interação dos usuários online (em sua forma dinâmica e ativa) e offline (sua forma passiva).


Cibercultura ou Cultura Telemática

Falar de Cibercultura é reconhecer que o ciberespaço atingiu, nos tempos atuais, o status de meio ambiente.

Como qualquer outro meio ambiente natural que conhecemos ou vivenciamos, o ciberespaço é um organismo biológico, psíquico, social e antropológico.

Enquanto organismo dinâmico, ele é constituído de ecossistemas e apresenta características ecológicas próprias. Ao mesmo tempo que, do ponto de vista antropológico, possui padrões específicos de comportamento e evolução social, que em muito se assemelham aos vivenciados por nós no plano social físico, mas que também apresenta suas idiossincrasias particulares.

A cultura engendrada no ambiente cibernético seria, por assim dizer, o resultado multimidiático e sinestésico de todas as produções, sejam elas materiais ou simbólicas, criadas e transmitidas coletivamente pelo homem no ambiente telemático do ciberespaço.

A Cultura Telemática ou Cibercultura refere-se, portanto, a todas as formas de intercâmbio de conhecimentos realizadas online, assim como todos os produtos materiais e/ou sociais desenvolvidos a partir destas relações de troca.

 

[© Rosy Feros, 2001. Escrito originalmente para o projeto da Revista Eletrônica Fractoscópio nº 2.]

 

 

Voltar

Para ir além:

Livros

  • LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo, Ed. 34, 1999.
  • COLOMBO, Luis Augusto Beraldi. Comenius, a Educação e o Ciberespaço. Bragança Paulista, SP, Ed. Comenius, 2006.
  • RAMAL, Andrea Cecilia. Educação na Cibercultura: hipertextualidade, leitura, escrita e aprendizagem. Porto Alegre, Ed. Artmed, 2002.

Sites

Contato

Rosy Feros
São Paulo, Brasil

<© 2008 - 2017, Rosy Feros. Direitos Autorais Reservados. Textos e imagens licenciados sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito à autora original ("Rosy Feros")

Crie um site grátis

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!