O fenômeno da Globalização na sociedade contemporânea

29/08/2014 23:56

O que é Globalização?


Globalização é o termo que geralmente empregamos para descrever um fenômeno social contemporâneo, marcado por transformações estruturais que abrangem todas as áreas da sociedade - sócio-culturais, econômicas e políticas. Este fenômeno social, na verdade, trata-se de um processo em contínua mutação, que visa a integração do mundo como um todo em uma grande comunidade global, com características globais, independente de suas fronteiras nacionais, sociais, culturais, políticas ou religiosas.

Esta idéia do mundo como uma grande Sociedade Global, unida por características semelhantes e universais, remonta a McLuhan, teórico da comunicação que, já na década de 60, cunhou o termo Aldeia Global para designar o fenômeno que então começava a surgir, embora de forma menos evidente. O fenômeno do mundo globalizado, de cultura mundializada, tão comentado atualmente é um processo que se iniciou a partir dos conflitos gerados pela 2ª Guerra Mundial, época em que vários países (principalmente da Europa) viram-se na necessidade de juntar esforços a fim de reerguerem-se da destruição causada pela guerra.

Tal “junção de esforços”, aliada ao surgimento dos Estados Unidos como grande potência mundial do Pós-Guerra, acabou gerando o início da globalização da economia, da produção de bens de consumo (tangíveis e intangíveis) em larga escala, satisfazendo necessidades e padrões de consumo de vários e diferentes mercados. Os Estados Unidos, por um lado, com sua Indústria Cultural (american way of life disseminado pelos meios de comunicação de massa a milhares de pessoas em todo o mundo, indistintamente) e alguns países da Europa e Ásia acabaram transformando-se em grandes eixos sustentadores do fenômeno da globalização, da forma como a entendemos hoje.

Não é por acaso que as primeiras discussões sobre a criação de um Mercado Comum Europeu e grandes alianças e acordos diplomáticos realizados entre países (como, por exemplo, a OTAN) e a idéia de se formar grandes blocos econômicos (como NAFTA, MERCOSUL, etc), também tenham surgido depois do período Pós-Guerra.

 

Características principais

Globalização é a interação entre os países, em todos os níveis possíveis - integração de países, de culturas e de mercados.
Neste processo, as pessoas não mais se fixam em seu lugar de origem, confinadas como antes em sua realidade particular, presas às características individuais. Cada pequena comunidade passa a relacionar-se com outras do resto do mundo, ultrapassando barreiras sócio-culturais - como língua, religião, usos e costumes, partidos políticos, nacionalidade - e cria-se, então, uma linguagem universal, uma comunicação global inter-povos, inter-nações, transnacional.

É deste processo de globalização da cultura, de comunicação global gerado pela grande Aldeia Global que surge o homem contemporâneo, o chamado cidadão do mundo, cidadão global, por muitos também chamado cidadão pós-moderno. Da globalização da cultura decorre um processo de metamorfose que faz com que os cidadãos do mundo acostumem-se (por sincretismo cultural, por assimilação cultural ou aculturação) a novos hábitos, antes impensáveis no mundo demarcado pelas fronteiras nacionais e geopolíticas que delimitavam as formas de ser e de pensar dos indivíduos, mundo ao qual estávamos acostumados há até poucas décadas atrás.

É assim que o cidadão do mundo moderno sente-se à vontade em falar idiomas diferentes, vestir-se segundo várias modas diferentes, a comer comidas típicas de várias regiões gastronômicas do mundo, a ouvir músicas e ritmos de vários países, a consumir produtos provenientes de vários pontos do planeta. Tais hábitos, hoje tão arraigados, muitas vezes passam despercebidos, sendo feitos por muitos inconscientemente. Como, por exemplo, os sanduíches da rede de fast-food Mac Donald's, que muitas pessoas aceitam e consomem muitas vezes sem questionar de onde e por que veio.

Tal fenômeno de globalização das culturas e dos mercados é irreversível, como pode ser comprovado historicamente. E, sendo assim, não pode ser julgado como “bom” nem como “ruim”. A globalização é, simplesmente, um processo novo, marcadamente vivenciado neste final de milênio e, como todo fato novo, sofre críticas ora de forte pessimismo, ora de otimismo - dependendo do ponto de vista do analista.

Este processo de globalização deverá marcar todas as pequenas comunidades da nossa grande Aldeia Global, e quem se recusar a enfrentar as agruras e inovações deste processo apenas estará adiando sua entrada no novo milênio. Recusar o fenômeno da Globalização é ir contra o andamento natural da história.

Para melhor analisarmos o fenômeno da Globalização, é necessário observarmos que ele compreende variados aspectos ou dimensões, que podem ser divididos basicamente em três: sócio-culturais, econômicos e políticos.

 

Aspectos sócio-culturais

Alguns aspectos sócio-culturais que podem ser observados no fenômeno da Globalização são a língua, os usos e costumes de cada povo, o aparato jurídico de cada país (com suas legislação e regras próprias de convivêncial local), as novas tecnologias da comunicação e descobertas científicas de grande impacto social e a forma como é administrado o fluxo de informação nos mais variados lugares do mundo.

Tais aspectos podem representar verdadeiras barreiras para a integração ao nível global, da mesma forma como podem ser verdadeiras ferramentas de propulsão e interligação entre os indivíduos, grupos socialmente organizados e até países. Dependem, contudo, da maneira como são encarados.

Havendo resistências nacionais, xenofobia, índices elevados de preconceitos de qualquer espécie (religiosos, políticos, econômicos, etc.), e dificuldades propositalmente levantadas por determinados grupos econômicos com fins de monopólio ou imperialismo cultural (político ou econômico) o processo de globalização torna-se difícil de ser vivenciado, podendo, às vezes, até ser adiado por tempo indeterminado.

O processo da globalização é, principalmente, fruto da explosiva evolução dos meios de comunicação e seus aparatos tecnológicos, marcadamente as tecnologias telemáticas (telecomunicações + informática). Estas tecnologias telemáticas, somadas às facilidades proporcionadas por elas, vêm causando grande aceleração nos rumos dos fatos sociais, devido ao intenso intercâmbio de informações registrado nos últimos tempos.

Os efeitos sociais deste intenso fluxo de informação, causados pela grande interatividade global proporcionada pelas novas tecnologias da informação, repercutem diretamente nos processos políticos e econômicos, alterando constante e sensivelmente seus rumos.

Desta forma, conceitos como especialização de tarefas, a filosofia vigente de trabalho (que mede o trabalho por horas trabalhadas), a rigidez administrativa, a mentalidade que privilegia quantidade em detrimento da qualidade estão perdendo terreno. Não dá mais para pensar em grandes hierarquias administrativas em tempos de globalização, nem em profissionais de uma única habilidade, restritos a determinados cargos e funções específicas.

Pensar globalmente é pensar em pequenas células de trabalho com alto nível de eficiência e flexibilidade, em indivíduos preparados para o inusitado, ao ágil ritmo dos novos tempos, dispostos ao eterno aprendizado, em livre trânsito pela Aldeia Global.

 

Aspectos econômicos

Como um primeiro efeito da globalização, podemos observar o surgimento de áreas de livre comércio em todo o mundo, como por exemplo, Mercado Comum Europeu (MCE), MERCOSUL e NAFTA.

Para que essas áreas de livre comércio se efetivem, as economias dos países envolvidos devem buscar a estabilidade monetária, pois este deverá ser o pilar sobre o qual as mudanças poderão ocorrer com mais segurança e com o máximo posssível de previsibilidade.

Outro fator importante é o relacionamento entre as empresas que constituem o mercado interno de cada país com seus respectivos corpos diplomáticos, de forma que seja estabelecida uma política conjunta de esforços no sentido de garantir sucesso nas relações culturais, políticas e econômicas com os outros países.

Dentro de um cenário globalizado, o Marketing deve preocupar-se com o fortalecimento da concorrência em todos os setores do mercado. Em virtude do grande intercâmbio global e da grande facilidade de acesso por parte de todos a qualquer tipo de
informação, as empresas atingirão níveis de paridade para negociação nesse mercado altamente competitivo.

 

Aspectos políticos

Sistemas políticos fechados, centrados em si, altamente nacionalistas, ditatoriais, com excessivo controle sobre as atividades econômicas internas são incompatíveis com o processo de globalização.

Para que possa se desenrolar o processo de globalização, é imprescindível que haja três coisas: livre trânsito dos indivíduos, livre comércio e livre fluxo de informação. Sem elas, é impossível concretizar qualquer pensamento de globalização cultural, econômica ou política.

È imprescindível, pois, sistemas e regimes políticos baseados na democracia, que respeitem e busquem satisfazer as necessidades internas de cada país, para que possa haver um intercâmbio fluente de idéias entre nações diferentes. Um fator importante para que se efetive a prática de livre comércio entre os vários blocos econômicos é a eliminação progressiva das barreiras alfandegárias (impostos, taxas de importação, documentos de identificação, etc.), objetivando-se a facilitação do livre fluxo tanto de indivíduos quanto de mercadorias e serviços.

Os acordos de cooperação internacionais ganham, com a economia globalizada, grande importância, pois representam uma somatória de esforços no sentido de integrar leis e regras que regulamentem e sistematizem o mercado interno dentro de um contexto globalizante. Tal integração política fortalecerá, em última instância, as relações internacionais, desestimulando abuso de poder (tanto político quanto econômico) por parte de grupos de maior expressão.

 

Considerações finais

Como se pôde observar, o processo de Globalização é resultado de numerosos fatores: sociais, culturais, econômicos e políticos, permeando a sociedade em todos os níveis, atingindo todos os indivíduos (direta ou indiretamente), constituindo-se num evento histórico inevitável e irreversível. Os fatores de maior peso neste novo fenômeno social são a evolução tecnológica dos meios de comunicação, principalmente da Telemática (Telecomunicações + Informática). A característica marcante da globalização, pode-se dizer, é a atenção dada à produção e desenvolvimento de gigantescas vias de comunicação ligando várias partes do globo, diminuindo o tempo e a distância entre os indivíduos (as chamadas infohighways) e a automação dos processos de trabalho.

Por estarmos vivendo uma época de rápidas e constantes mudanças sociais, sofremos diretamente, e em primeira mão, o impacto dessas novas tecnologias na sociedade. Cada dia, torna-se mais verdadeira a lei da Seleção Natural de Darwin - que diz que indivíduos sem condição de adaptação ao seu meio são naturalmente preteridos em função daqueles com maiores condições de adaptação. O futuro será dos cidadãos globais, globalizados.

Esta virada de milênio passa a ser, assim, uma época de profundas revoluções em todos os níveis sociais do globo, causando impasses e polêmicas, críticas e desilusões, otimismos e pessimismos exacerbados. Com o advento da globalização,  vemo-nos diante de um fenômeno irreversível, mas que deve ser enfrentado, analisado, compreendido, assimilado e vivido intensamente.

 

[© Rosy Feros, 1998]

 

 

Voltar

Bibliografia

Livro:

  • ORTIZ, Renato. Mundialização e Cultura. Ed. Brasiliense, 1994, 1ª edição.

Periódicos on line:

Outros sites eletrônicos:

  • GLOBALIZAÇÃO. [http://www.terravista.pt/Enseada/1867/globaliz.htm]

  • O QUE é globalização. [http://liceusabin.br/pessoal/marcoarthur/A1.HTM]

Contato

Rosy Feros
São Paulo, Brasil

<© 2008 - 2017, Rosy Feros. Direitos Autorais Reservados. Textos e imagens licenciados sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito à autora original ("Rosy Feros")