Tempestade

Tempestade

Ao ver céus e terras se abrindo,
fecho a janela para ouvir a tempestade:
majestosa é a chuva
que jorra do céu aos cântaros,
gloriosos são os trovões
que iluminam o céu em cânticos.

Atenta, ouço a tempestade em voz d'água,
seduzida pelas Fúrias.
É dentro de mim que ela escorre.
Encharcados estão meus gritos
e os sonhos mais aterradores.

Sinto a potestade. E é a ela que me remeto
em minhas noites impuras,
cantando e mimetizando a natureza
em todo o seu aguilhão.
E sangro.

 

[© Rosy Feros, 2005]

 

 

Contato

Rosy Feros
São Paulo, Brasil

<© 2008 - 2017, Rosy Feros. Direitos Autorais Reservados. Textos e imagens licenciados sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito à autora original ("Rosy Feros")