Um mundo que matou seus heróis

30/06/2018 17:38

 

Um mundo que não respeita seu passado, e que se freia ao imaginar seu futuro.

Um mundo que acha que consegue pensar sem imaginação, que não cultiva seus símbolos. Um mundo que matou seus heróis.

Um mundo em que muitos falam, escrevem e até discutem, mas em que poucos sabem dizer a que vêm, o que pensam e o que produzem.

Um mundo que não respeita a força da literatura e seus mundos míticos finamente construídos. Um mundo completamente "despoetizado", que perdeu seu lirismo.

Um mundo que desmistificou os ritos de passagem e transformou as escolas em indústrias, as crianças em robôs e os adultos em eternos jovens em busca de identidade.

Um mundo que perdeu a dimensão do imaginário e desdenha da riqueza dos símbolos arquetípicos . Que fica à mercê dos baixos instintos e da violência, irracionalmente.

Um mundo que propaga o efeito opiáceo das religiões e que se vangloria de ser laico e científico. Mas que endeusa políticos e se considera progressista e revolucionário.

Um mundo que renegou os deuses, subjugando a dimensão espiritual às necessidades sociais do poder humano. Mas que não compreende as raízes da fúria consumista, e por que as pessoas foram transformadas em mercadorias.

Um mundo asséptico e racional até as vísceras, mas incapaz de raciocinar criticamente sobre a realidade em que vive.

Este é o mundo em que vivemos: prostrado em depressão e niilismo, narcóticos e analgésicos, que entende de ossos e músculos, mas não compreende as dores da alma.

 

[© Rosy Feros, 30/06/2018]

Voltar

Contato

Rosy Feros
São Paulo, Brasil

<© 2008 - 2018, Rosy Feros. Direitos Autorais Reservados. Textos e imagens licenciados sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito à autora original ("Rosy Feros")